5 de abril de 2009

Sobre o América, blogs e besouros


Há sempre uma discussão sobre o placar de 3 a 0. É goleada ou não? A gente precisa ter cuidado com essas avaliações em futebol, principalmente se viram títulos de notícia, reportagem ou postagens. Derrubam treinadores, podem encurtar a carreira de jogadores e, não raramente, alvejam jornalistas, como aconteceu recentemente em “O Tempo”, quando um colega de profissão – contrariando orientação editorial – achou que o América havia sido “humilhado” pelo “inexpressivo” Águia de Marabá, do Pará, em derrota por 1 a 0 no jogo de volta da Copa do Brasil, em 19 de março. A derrota no Mineirão acabou derrubando o Coelho na primeira fase do torneio. Os dois adjetivos entre aspas foram escolhas do profissional e geraram a reprimenda máxima: demissão.

Gozado é que lendo os comentários no blog do Juca (postagem “Parece mentira”, do dia 26 de março – http://blogdojuca.blog.uol.com.br/ ), onde Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais denunciou a demissão de Rodrigo Rodrigues, constatei que a maioria deles concordou com a demissão: o cara não obedeceu à chefia!

Entendo essas pessoas. Acham que ser jornalista é como ser um subordinado qualquer. Não sabem que não é assim. Ser jornalista é ter o interesse público como patrão. Ninguém, por mais premiado que seja, é verdadeiramente o superior de um bom jornalista. Este só se rende aos imperativos da própria consciência, ainda que frequentemente tenha de pagar por isso. Mas tais pessoas, brutalizadas pelo mercado, essa pseudodivindade que beijou o asfalto com a derrocada do império central, saberiam disso se vivêssemos num mundo mais humanizado.

Voltando a falar de futebol, nesse sábado, o Coelho, contra todas as expectativas, perdeu por 3 a 0 para o Rio Branco, de Andradas. O Azulão, com a vitória, tornou-se o primeiro semifinalista do Mineiro. No domingo passado, o alviverde havia ficado num empate sem gols no Mineirão contra o time do Sul de Minas.

O zagueiro Micão, do Coelho, depois do jogo, disse em Poços de Caldas – onde a peleja foi disputada, porque o Parque do Azulão não comporta públicos de 10 mil pessoas – que o resultado foi “vergonhoso”. Ainda bem que foi o Micão, jogador, e não um jornalista, que expressou sua avaliação com essa clareza. Ser jornalista é perigoso. Como, de resto, viver, segundo o mestre Guimarães Rosa.

Voltando ao futebol e ao jornalismo, Adílson Batista desabafou com o blogueiro Cosme Rímoli, do portal UOL, que os jornalistas mineiros são mal-informados, entre outros predicativos que podem ser conferidos no próprio (http://blogdocosmerimoli.blog.uol.com.br/). Os colegas mineiros, sempre muito comportados, perguntaram ao comandante cruzeirense ao final da coletiva de sexta-feira, anteontem, como é que ficava a história. Adílson disse: “Assunto encerrado”. A repórter Josy Alves, da Rede Minas, tentou insistir no tema e foi atalhada: “Assunto encerrado”. Um rápido silêncio e os coleguinhas de profissão seguiram discutindo outros assuntos. Não sei se houve lanche depois.

“Assunto encerrado” sempre foi uma expressão que me incomodou. Meu pai, do alto de sua autoridade, eu criança, usava a expressão quando achava que a discussão já tinha se estendido o suficiente. Mas havia discussão antes do bordão ser desferido como borduna. Claro, era uma conversa entre pai e filho. Havia assimetria, como deve ser, numa relação desse tipo.

Sei não. Temo que os que defendem o fim do diploma de jornalista como condição necessária para o exercício da profissão tiveram uma boa semana. Entre repórteres que são defenestrados por exercer a autonomia de seu juízo e jornalistas que recebem pechas generalizantes, pondo em risco credibilidade e dignidade da profissão, parece mesmo que há algo de errado com o diploma.

Pena. Gabriel Garcia Marquez um dia classificou o ofício de jornalista como “a melhor profissão do mundo”. É nesse texto seminal que ele lembra que a ética deve perseguir o jornalista como o zumbido, o besouro. Devíamos observar mais o voo dos besouros.

Alexandre Freire é jornalista.

Um comentário:

  1. Luciano Henrique Amorim05/04/2009 15:55

    Concordo com o micão o resultado foi vergonhoso para os americanos porque para nós rio branquenses foi bom, quanto ao voo dos besouros é porque quem perdeu foi um time da capital, porque se tivesse sido um aqui do interior vocês da imprensa da capital teriam colocado o resultado 3 x 0 como goleada, ou América humilha Rio Branco, porque a sorte do américa é que ele é de Belo Horizonte porque o time em si é horrível, esta longe dos bons times que o américa tinha a decadas a atras.....
    DALHE BRANCOOOOOOOOOOOOO

    ResponderExcluir