4 de maio de 2009

A culpa é de quem?

Leão chegou em dezembro de 2008. Tão logo foi anunciado, a torcida renovou as esperanças no time. Méritos para o idolatrado Alexandre Kalil.

Nas outras vezes em que assumiu a equipe, sucesso. Em 1997 foi campeão da Conmebol. Dez anos depois, evitou o rebaixamento. Agora, montando o elenco, poderia ser ainda melhor.

Emerson Leão: de herói a vilão. Foto: Arquivo/Superesportes

Poderia, mas não foi. No primeiro jogo do ano, um presságio. Goleada do Cruzeiro por 4 a 2, no estádio Centenário (que ironia!), em Montevidéu, no Uruguai, pelo Torneio Verão. Explicação: o grupo estava desentrosado – ao contrário do rival, que manteve a base da temporada passada.

Veio o Campeonato Mineiro, com dois empates nas primeiras rodadas (América/0x0 e Tupi/2x2), seguidos de duas vitórias (Rio Branco/3x0 e Uberaba/4x1). Susto, mas Diego Tardelli e seus gols deixavam os atleticanos cada vez mais empolgados. Até o clássico...

Nova derrota, agora por 2 a 1. E o time atuou bem, mesmo depois que Alício Pena Júnior não marcou a falta de Léo Fortunato em Carlos Alberto, no início do jogo. Lance crucial e a culpa, desta vez, foi do árbitro.

Kalil protesta contra a Federação Mineira de Futebol e sua comissão de arbitragem. Lincoln Afonso Bicalho se afasta, alegando problemas de saúde. Aumenta a pressão sobre os árbitros.

Nas dez partidas seguintes, entre goleadas e vitórias apertadas, o Galo igualou uma sequência histórica de triunfos. A invencibilidade alvinegra durou, no total, 13 partidas. Que fase! Só terminou no primeiro jogo da final do Mineiro...

5 a 0, como na decisão de 2008. Indiscutível. Nervoso, Renan foi expulso após o terceiro gol. Um jogador a menos em campo, um gol a mais para o Cruzeiro. E mais nervosismo. Leandro Almeida apelou. Vermelho para ele e Ramires. E tome gol. Vixe!

As expulsões ajudaram o time a se afundar, mas antes já não estava dando nada certo, mesmo. Ninguém treina jogada aérea? Marcos Rocha no banco? Por que Lopes ainda era titular? Juninho: até quando? Rafael Miranda é pior do que Júnior Carioca?

Muitas dúvidas, poucas respostas. E para piorar, veio a derrota para o Vitória – 3 a 0, em Salvador. O time conseguiu ser pior contra os baianos do que foi no clássico. Era muito para o já combalido atleticano.

Faltava tampar o caixão. Ontem o Atlético até mostrou garra, mas não foi suficiente. Emerson Leão voltou a culpar a arbitragem. Sem razão. Não voltou para o 2º tempo e não viu a festa celeste.

Sai Emerson Leão, entra Celso Roth. Foto: Globoesporte.com

Enquanto os cruzeirenses comemoravam o 35º título estadual, Kalil tomava uma decisão: chega de Leão! Na madrugada, o treinador caiu. Foram 21 partidas (13 vitórias, quatro empates e quatro derrotas – três diante do Cruzeiro!).

Para substituí-lo, o Clube contratou Celso Roth. A “Mecânica do Jogo” está de volta ao Atlético, só que as peças precisam de ajustes. Parafraseando outro treinador gaúcho, digo: “vamos aguardar”. Sucesso ao novo treinador, que já assume o comando nesta segunda-feira.

Kalil disse, e cumpriu. O Atlético não perderia o título Mineiro por causa da arbitragem. Depois dos 5 a 0, chamou para si a responsabilidade. De quem é a culpa? Fico com Zezé Perrella: “O culpado não é o presidente do Atlético. O culpado é o Kleber, é o Fábio... A culpa não é da quadrilha (da FMF), mas do esquadrão cruzeirense”.

Fábio Pinel é apresentador do programa Meio-de-Campo.

2 comentários:

  1. Aroldo Santos05/05/2009 17:46

    Concordo plenamente, enquanto o Kalil ficar buscando culpado para os fracassos do Atlético os problemas não serão resolvidos, até que enfim ele assinou seu atestado de incompetencia.

    ResponderExcluir
  2. Estamos cansados de tanta enganação e sofrimento. Chega de ilusão e humilhações.
    Não vamos mais apoiar incompetência. Foram anos e anos de apoio incondicional, reconhecidos por toda a mídia do Brasil. Por milhares de vezes fomos notícias dos meios de comunicação esportivos nacionais, citando nosso fanatismo e amor ao Galo. E o que recebemos em troca? NADA ! Nos últimos anos sofremos seguidas goleadas, não ganhamos um clássico a 12 jogos e títulos ficaram na promessa.

    A Massa Atléticana está iniciando um movimento único, como forma de salvar o Galo. MUDANÇA JÁ, todos os torcedores do Atlético estão unidos contra dirigentes e jogadores sem qualidade. Chega de engolir contratações ridículas, encher o Mineirão e sair decepcionado. Vamos mudar de postura e ser mais exigentes, não queremos mais lixos no Galo, queremos um time decente e não restos e dispensados de outros clubes.

    MOVIMENTO MUDANÇA JÁ
    YES, WE CAN !

    ResponderExcluir