16 de janeiro de 2009

Clássico é clássico

O Torneio de Verão, que será disputado nos próximos dias em Montevidéu por Cruzeiro, Atlético, Peñarol e Nacional suscita discussões na imprensa. Opiniões contrárias a clássicos durante a pré-temporada parecem ser maioria, com o argumento de que a combinação rivalidade e músculos voltando das férias podem trazer riscos aos elencos recém-apresentados. Entretanto, os times confirmaram a participação no ano passado, em um contrato vantajoso (R$ 400 mil reais para cada). Desta forma, vamos ao campo.

O Cruzeiro anunciou nesta quarta a delegação que viaja com Adílson Batista. Três lances para nota: 1º) ausências de Fabrício e Guilherme – lesionados, Espinoza – que atrasou a apresentação por problemas pessoais e Jael – fora de forma (mais Jael logo abaixo); 2º) a confirmação de Sorin: mesmo ciente de que ainda não tem condições totais de jogo, o argentino viaja como líder da equipe, e pode desequilibrar mesmo começando no banco; 3º) a presença dos reforços, que serão testados pelo técnico.

Wellington Paulista, atacante que estava no Botafogo, é a promessa de gols para a temporada. Anotou 29 ao longo do ano passado, sendo artilheiro do Carioca e da Copa do Brasil. A torcida o recebeu com desconfiança, pois esperava um reforço de renome internacional para a Libertadores, mas logo deve se empolgar com o jogador. O homem de área que o Cruzeiro precisava.

Jancarlos chega para a lateral direita, setor dos improvisos em 2008. Teve boa passagem no Atlético/PR, mas ficou apagado no São Paulo. Chega para disputar com Jonathan. Leonardo Silva é zagueiro, estava no Vitória/BA e tem como ponto forte as bolas aéreas. Alessandro, revelado pelo América/MG, foi artilheiro no Ipatinga em 2007 e estava no Japão, mas ainda precisa mostrar futebol em times de ponta. Após bom começo no Fluminense, não se firmou no Vasco nem no Flamengo. É uma boa aposta para compor um elenco forte que disputa três competições no primeiro semestre. Todos estes jogadores viajam hoje para o torneio.

Jael é a incógnita. Dispensado pelo Atlético/MG em dezembro, foi oferecido ao Cruzeiro e já chegou fora de forma, tanto que não vai para o Uruguai. Será mais uma cartada do Perrella para tentar "furar o olho" do rival e negociar bem, no fim do ano, uma promessa dispensada do outro lado da lagoa? Ou teria sido apenas um mau negócio?

Cruzeiro e Atlético se enfrentam sábado, pela primeira vez, fora do Brasil. A motivação não será de final de campeonato, o entrosamento deve ficar devendo dos dois lados e o barulho da torcida será incomparável ao que estamos acostumados. Apesar disso, o futebol (ou os cronistas) gosta(m) de seus clichês: veremos se clássico, de fato, é clássico. Ainda que na pré-temporada em terras uruguaias

Enzo Menezes é jornalista

Um comentário:

  1. João BH/Rio16/01/2009 15:57

    "...e pode desequilibrar mesmo começando no banco."

    menos...

    o cara afinou.

    ResponderExcluir