29 de abril de 2010

Sobre magnetismo e conquistas...

Técnicos de futebol são como imãs – estão sempre atraindo críticas. Negativas, quando a fase é ruim, as declarações são polêmicas ou as respostas grosseiras. Positivas, se a equipe joga bonito, vence ou é campeã.

Vanderlei Luxemburgo divide opiniões. Mas o currículo mostra, de fato, quem é este profissional. Se tivéssemos que resumir sua carreira em uma única palavra, esta seria “vencedor”.

"Luxa" tem 23 títulos, ao todo. Foto: Vinnicius Silva/futeboldeminas.com.br

Neste post vou me limitar a falar apenas dos títulos obtidos em campeonatos regionais. E os dele não são poucos: oito em São Paulo, um no Espírito Santo e outro em Minas Gerais.

Você sabia que o treinador do Atlético é o segundo maior vencedor de estaduais no futebol brasileiro. E que está empatado com Givanildo Oliveira, do Sport?

O “Campeão dos Campeões” é Joel Santana. Ele já levou os quatro grandes do Rio de Janeiro ao topo. Repetiu a façanha de brilhar por rivais no futebol baiano. No total, tem 11 estaduais.

Joel Santana (E) é o recordista. Givanildo Oliveira (D) está na cola.

Luxemburgo pode ser campeão mineiro no próximo domingo. Apesar do meu apreço e respeito pelo Ipatinga, acredito até que será. Não só pela vantagem obtida em campo, mas por méritos mesmo.

Se confirmar a conquista se iguala a Joel Santana. E ainda repetirá o feito de Levir Culpi e Jair Pereira – campeões mineiros como técnicos tanto do Atlético quanto do Cruzeiro.

Luxemburgo prometeu que alguma coisa muito boa iria acontecer com o Atlético, logo na primeira entrevista coletiva. Não disse quando. Garantiu apenas que seria campeão.

Pelo andar da carruagem, a promessa será cumprida mais rápido do que se esperava. Quer dizer: mais rápido do que aqueles que torcem contra esperavam.

E como um poderoso imã, Luxemburgo atrai críticas - negativas e positivas. Só que além disso tem atraído algo muito maior: o coração atleticano...

P.S.: Para não ser injusto, lembro que Givanildo Oliveira é finalista do Campeonato Pernambucano e por isso também pode chegar este ano a 11 conquistas em estaduais.


Fábio Pinel é apresentador do programa Meio-de-Campo e está no Twitter.

23 de abril de 2010

Chamando o Juca


O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor. Ao nos oferecer a opinião dos deseducados, ele mantém-nos em dia com a ignorância da comunidade.
Oscar Wilde

Oscar Wilde morreu em 1900. O jornalismo moderno de que ele falava era o do século 19. Mas a expressão é surpreendentemente atual. E estou falando dos blogs e dos comentários nos blogs.

Juca Kfouri é um dos meus ídolos no jornalismo. A expressão é vulgar, mas não existe melhor: Juca não tem rabo preso. E basta olhar a nossa volta para ver como isto é cada vez mais raro nos dias de hoje, principalmente nas páginas esportivas.


Pois bem, bastou Juca Kfouri dar seus palpites sobre a Copa do Brasil para chover comentários no seu blog. Em um dia foram quase 900.

Veja o que escreveu Juca Kfouri:

Palpites para a Copa do Brasil

As semifinais terão dois clubes paulistas, um gaúcho e um baiano.

Santos e Grêmio farão dois jogos superinteressantes porque de estilos opostos.

E Palmeiras e Vitória jogarão as duas outras partidas semifinais.

A bola de cristal não tem dúvida quanto ao Santos como finalista.

E como campeão.

Mas embaça quando tenta saber quem será seu adversário, se Palmeiras ou Vitória.

Embora tenda para uma final paulista.

(texto copiado do blog do Juca )


Dá para advinhar quem ficou furioso. Claro, os torcedores atleticanos. Eles despejaram comentários - acredito que muitos nem foram publicados por causa de palavrões - e a maioria deles desancava com o jornalista porque simplesmente ele estava dando sua opinião. E cá entre nós, uma opinião pra lá de lógica: O Santos é neste momento um time melhor do que o Atlético.


Só não acho que Juca Kfouri tenha mexido neste vespeiro sem querer. Ele sabe que a torcida do Atlético é uma das mais apaixonadas do Brasil. E que, cutucá-la, pode render o que está rendendo. No mundo dos blogs, comentários equivalem a IBOPE. E para encerrar tenho que voltar a Oscar Wilde:


Se existe no mundo coisa mais aborrecida do que ser alguém de quem se fala é certamente ser alguém de quem não se fala.

21 de abril de 2010

Telê e eu!


Antes mesmo de ser jornalista, eu me imaginava entrevistando dois personagens do esporte. Muito antes de chegar a faculdade de jornalismo, a curva Tamburello tirou a minha chance de um dia entrevistar quem considero um dos maiores esportista desse país.

Outra pessoa que ficaria muito feliz e realizado em entrevistar, nos deixou há exatos 4 anos. Esse tive a oportunidade de entrevistar, mas não fiz. Em um evento no estádio Mineirão, Telê estava lá, bem ao meu lado. Já debilitado, com dificuldade na fala e em uma cadeira de rodas, preferi não "incomodá-lo" com o microfone. Deixei-o ali! Achei que a simples oportunidade de estar ao lado dele, no mesmo local em que dirigiu tantas vezes o Atlético (treinador que mais dirigiu o Galo, 434 vezes) já era o bastante para mim e a imagem dele, feliz por aquele momento, era o suficiente para o telespectador.


João Paulo Ribeiro é produtor do Meio de Campo

15 de abril de 2010

Quem quer ser o goleado...

Neymar comemora um dos seus 5 gols na goleada de 8 a 1 sobre o Guarani (foto gazeta press)

O Atlético venceu o primeiro round contra o Sport. A luta por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil terá mais 90 minutos no Recife. Tem gente dizendo que o 1 a 0 foi pouco, que o Sport é um time certinho (feio arrumadinho) que pode vencer em casa. Mas também tem gente dizendo que foi bom resultado para o Galo, já que se o time marcar um golzinho na Ilha do Retiro vai obrigar o adversário a marcar 3 para vencer a batalha. Opiniões divergentes e certeza de um jogo emocionante.
Mas o mais intrigante nesta disputa entre Atlético e Sport é a recompensa pela classificação. Veja só, quem vencer terá o direito de enfrentar o Santos. Isso mesmo este time que, segundo o jornalista Marcelo Bechler, já venceu por quase todos os placares que vão de zero a 10. Faltam só dois : o zero e o 7. quem se habilita? Atlético ou Sport?

5 de abril de 2010

Análise das Quartas-de-Final (Jogos de Ida)

Ipatinga 2x1 Tupi, no Ipatingão.

Jogo muito bom. O empate também seria um resultado justo, mas o Tigre foi melhor no 2º tempo e mereceu vencer. O Galo Carijó saiu na frente, com Chiquinho, mas Alessandro marcou os dois gols do Ipatinga, garantiu o triunfo dos donos da casa e reverteu a vantagem que era do Tupi. A partida de volta será na quinta-feira, às 21h50, em Juiz de Fora. O árbitro Andre Luiz Martins Dias Lopes não teve muito trabalho e se saiu bem.

Alessandro (C) foi o nome do jogo. Foto: D.A. Press

Cruzeiro 2x2 Uberaba, no Mineirão.

O Zebu encarou a Raposa como todo time deveria fazer. O resultado? Um jogo emocionante - nem tanto para os cruzeirenses. Por duas vezes os visitantes estiveram em vantagem, só que não conseguiram impedir a reação celeste. O empate é um alerta para a equipe de Adílson Batista, que parecia não acreditar no adversário. O Uberaba jogou bem, mas o placar final não deixa de ser surpreendente. O Cruzeiro segue com a vantagem de empatar o jogo de volta, na quarta-feira, às 21h50, no Uberabão. Renato Cardoso Conceição esteve mal na arbitragem, mas não comprometeu.

Zebu deu trabalho e poderia ter vencido. Foto: D.A. Press

América 3x3 Atlético, no Mineirão.

Talvez tenha sido o melhor jogo do final-de-semana. O Coelho foi pra cima do Galo e logo já vencia por 2 a 0. Mas o Atlético tem Fabiano, que vive uma excelente fase. Com três (belos) gols em 15 minutos, o volante virou o placar ainda no 1º tempo. Destaque também para Renan Oliveira, com duas assistências. Na 2ª etapa quem jogou melhor foi o América - que conseguiu o empate em um chute forte de Rodrigo. Aranha aceitou. No fim, o empate foi justo. O time de Vanderlei Luxemburgo pode empatar o jogo de volta, na quarta-feira, às 19h30, no Ipatingão. Arbitragem ruim de Joel Tolentino Damata.

Sob chuva, Galo e Coelho empataram de novo. Foto: D.A. Press

Villa Nova 2x4 Democrata-GV

O Leão do Bonfim fez o que pode. Até marcou o primeiro gol, mas logo sofreu a virada. Perdia por 3 a 1 quando diminuiu com Warley, só que a Pantera contava com Eraldo - autor de três gols no jogo. O novo artilheiro do Estadual, com 11 gols, foi fundamental para o time de Moacir Júnior. Placar justo e já esperado. Agora, o Democrata pode perder por até dois gols de diferença o jogo de volta, na quinta-feira, às 19h30, em Governador Valadares, que ainda assim será semifinalista. Emerson de Almeida Ferreira passou batido, apesar das reclamações do técnico Flávio Lopes.

Alex Santos, de falta, marcou um dos gols da Pantera. Foto: D.A Press

Fábio Pinel é apresentador do programa Meio-de-Campo.

2 de abril de 2010

Palpites para as Quartas-de-Final

Ipatinga x Tupi, sábado, 16h, em Ipatinga.

Talvez, um dos confrontos mais equilibrados desta fase. O Tigre começou muito bem na competição, mas dois tropeços nas últimas rodadas custaram um lugar no G4. Mesmo assim, tem um bom time. O Galo Carijó foi mais regular na fase de classificação e conta com o artilheiro Ademílson e o goleiro Eládio. Impossível prever algo nesse duelo. O árbitro do primeiro confronto será André Luiz Martins Dias Lopes.

Cruzeiro x Uberaba, sábado, 18h30, em Belo Horizonte.

A Raposa teve, com sobras, a melhor campanha - mesmo poupando os titulares na maioria dos jogos. Adílson Batista vai usar, a partir de agora, o que tem de melhor. Pior para o Zebu, que não parece ter forças para encarar o atual bicampeão mineiro. Destaque para a dupla Kléber e Thiago Ribeiro. Na 1ª fase, o Cruzeiro venceu o Uberaba por 5 a 0, no Mineirão. Não deve ser muito diferente agora. Apita o jogo Renato Cardoso Conceição.

América x Atlético, domingo, 16h, em Belo Horizonte.

O Coelho não terá Fábio Júnior, suspenso. Mauro Fernandes aposta no conjunto, tem bons talentos inviduais (Rodrigo e Leandro Ferreira) e jogadores experientes (Euller e Irênio). Mas o melhor momento é o do Galo: 12 gols nos últimos dois jogos; Fabiano e Diego Tardelli inspirados; Júnior e Renan Oliveira entrosados; Muriqui e suas assitências... Na 1ª fase, empate em 1 a 1. O dono do apito é Joel Tolentino Damata Júnior.

Villa Nova x Democrata-GV, domingo, 18h30, em Nova Lima.

O Leão do Bonfim não anda rugindo tão alto em seus domínios como antes. Tecnicamente, tem uma equipe limitada, se comparada à da Pantera. Por isso, os comandados de Moacir Júnior são os favoritos nesse confronto, mesmo atuando fora de casa no primeiro jogo. Com a 2ª melhor campanha na fase de classificação, o Democrata-GV já mostrou que pode chegar até a decisão. O árbitro será Émerson de Almeida Ferreira.

Fábio Pinel é apresentador do programa Meio-de-Campo e está no Twitter.