27 de abril de 2011

As Peladas


O futebol é um dos esportes mais famosos e praticados do mundo. Desde sua invenção, na Inglaterra no século XIX , o futebol passou por inúmeras mudanças nas regras e na estrutura, até os dias de hoje. O esporte bretão tem adeptos no mundo todo, desde o Chile até as Ilhas Maurício. Você deve estar duvidando que nessas ilhas eles saibam jogar bola. Tudo bem, eu não sei, mas por que toda Copa do Mundo tem um árbitro desse lugar? Pela sua notoriedade e fama, o futebol ganhou várias adaptações: o futsal, o futebol de areia, o futebol de botão, o totó e por aí vai. Mas nenhuma outra modalidade futebolística é tão instigante e prazerosa quanto a pelada! Essa variação futebolística se subdivide em dois tipos: a pelada organizada (PO) e a não-organizada (PNO). Para você entender melhor o que eu estou dizendo, veja os exemplos:

Estrutura:
PO – Tem que ser num campo ou quadra. Campo de areia, terra, grama normal ou sintética. As traves podem ser madeira ou algum outro material que lembre as traves originais. Possui marcação de meio campo e áreas.
PNO – Campo? Quadra? Fala sério!!! Os praticantes dessa modalidade não ligam para isso. Pode ser na rua, na varanda de casa, no salão do prédio (essa é boa!), ou em qualquer outro lugar. O que importa é jogar.

Componentes:
PO – Onze, sete ou cinco para cada lado. Os goleiros normalmente são fixos (essa é uma das vantagens da pelada organizada).
PNO – Pode ser até um para cada lado, nesse caso a modalidade tem seu nome mudado para “gol a gol”. Vai depender muito do espaço. Se for muito apertado, pode jogar com um gol só, o famoso “si por si”, ou “um no gol e dois times de dois”. Normalmente usa-se o mesmo tanto para cada lado. Os goleiros quase nunca são fixos. Essa é a parte chata. Quando os times são divididos, um espertinho já berra: “Sou o último no gol!”. Aí quando você vê, é o primeiro. E fica esperto, se engolir frango, fica mais uma.

Bola:
PO – De couro ou de plástico.
PNO – Tudo que se possa chutar. Tá bom, quase tudo. Para o pessoal que está na escola e joga na hora do recreio, pode ser uma latinha de refrigerante, garrafinha de iogurte, yakult, toddynho, bola de meia ou de papel.

Apetrechos:
PO – Chuteira ou tênis, calção, camisa ou colete. O pessoal dessa modalidade leva isso muito a sério. Uma vez um amigo meu chegou para jogar com o uniforme completo do Botafogo. Com aquele meião cinza também. E olha que ele nem torcia pelo Botafogo. Vai entender.
PNO – Só não pode jogar pelado. Bom, se o nível de cachaça estiver alto, desconsidere o que eu disse. Normalmente é um time com e outro sem camisa. Dependendo do “campo” não dá para jogar descalço. Mas como esse povo é fominha, jogam assim mesmo. Certa vez na rua lá de casa, o Tuniquinho foi fazer um cruzamento de três dedos (ele era fã do Nelinho), hoje ele só chuta de dedão, foi o único que restou.

Arbitragem:
PO – Normalmente tem alguém que apita, não especificamente um árbitro. Pode ser um, quando a grana da galera permite.
PNO – Item polêmico. Todos os que jogam são juízes ao mesmo tempo. Algumas regras são combinadas antes para não ter problema. Mesmo assim tem. Espera uma bola pegar na mão de alguém para você ver.

Tempo:
PO – Se tiver time de fora, aí tem que ser rápido, dez minutos ou dois gols (essa é clássica!). Se não tiver, o tempo pode ser prolongado.
PNO – Bastante variável. Pode ser o tempo do recreio, o tempo que sua mãe está fora (e achando que você está estudando), até escurecer e você não ver nem a cor da bola (literalmente), até a hora que alguém arrancar a tampa do dedão, o tempo da bola cair no depósito (essa é histórica!) e o tempo em que você acha que o jogo acabou de começar e sua mãe berra da janela: “ô menino, vem tomar banho, peste!”.


Andre Fidusi é convidado do Meio-de-Campo neste blog.
http://andrefidusi.com

21 de abril de 2011

Festa na Floresta

Foto: Brian Stewart/Efe


Era um dia comum na floresta. O leão fazia seu passeio matinal, quando de repente avista algo estranho perto do lago. De longe parecia uma presa fácil para o rei dos animais. “Oba, vou fazer uma boquinha!”, pensou. Correu, preparando o bote, mas quando chegou perto, constatou, não era um animal e sim uma bola! “Uma bola”, disse satisfeito e já fazendo algumas embaixadinhas. Pegou a pelota e saiu em disparada para casa.

Pensou em fazer uma reunião para contar a novidade. Guardou a bola num saco velho e saiu gritando pela floresta: “Convocação para reunião extraordinária”, berrava. Todos os bichos atenderam ao chamado do rei e no horário marcado estavam lá, no meio da floresta.

Depois de muita confusão, fofocas e disse-me-disse, ninguém fazia idéia do que se tratava. “Fala logo aí, ô majestade!”, gritou o macaco. E depois de muito suspense, o rei mostrou aos súditos o objeto do seu desejo. “Uma bola!!!!!!”, gritaram os animais num coro quase ensaiado. Festa. Foi o que virou a reunião. Ninguém acreditava naquilo, uma bola. Pensaram em tudo. Idéias e mais idéias ferveram nas cabeças daquele reino.


Depois de muito discutirem marcaram o jogo. Dividiram os times e cada capitão, o leão e o tigre, tinham uma semana para preparem seus esquadrões. Foi uma semana agitada, todos se esforçando, “dando tudo de si”. A empolgação era tanta, que o elefante travou a boca e fez cooper todos os dias para emagrecer. Não conseguiu e foi parar no gol. E o “seu girafo”, coitado, ficou com uma baita dor de cabeça de tanto treinar cabeceio. Também, quem mandou ter um pescoço daquele tamanho. Virou um Jardel misturado com Dadá.


Chegado o grande dia, o campinho improvisado estava lotado. Torcida das duas equipes com bandeiras, faixas e tudo mais faziam a festa antes da pelota rolar. Fizeram até uma rádio com o papagaio narrando, o urso comentado e a hiena de repórter de campo. Coitada da hiena, achava graça de tudo, era uma pergunta e cinco risadas.


O gorila apitou (sobrou para ele ser o juiz, pelo menos assim sabiam que ninguém iria arrumar confusão com ele). Bola rolando! Jogo disputado, torcida tensa, todos os ingredientes de um verdadeiro clássico. Na primeira escapada, o leão tabelou com o rinoceronte e saiu na cara do gol. Chutou forte, no ângulo, e o goleiro voou para abraça-la. De repente um silêncio sepulcral toma conta da floresta. Todos cabisbaixos saem não acreditando. Depois disso, o porco-espinho abandonou as luvas e virou cartola.


Andre Fidusi é convidado do Meio-de-Campo neste blog.
http://andrefidusi.com

19 de abril de 2011

Artilheiros do Mineiro

Thiago Ribeiro é o goleador do Cruzeiro no estadual. Depois de perder a titularidade, o atacante ressurgiu das cinzas e já marcou 8 vezes. Para ser artilheiro da competição, terá que superar pelo menos um jogador de cada time que está na semifinais.

No Atlético, a experiência tem sido fundamental para Magno Alves. Magnata precisou de apenas dois jogos para fazer 5 dos 9 gols no Mineiro. Um a menos do que Jonatas. Ou Obina. O apelido tem sido levado a sério pelo jogador. Seja com a bola rolando...de pênalti... ou de cabeça...ele já balançou a rede dos adversários por 10 vezes.

Mas, em Belo Horizonte ou Teófilo Otoni, ninguém se compara a Fábio Júnior. Artilheiro isolado, com 13 gols. Alguns belos gols. Com seu estilo, Fábio tem sido o cara na competição. Cada um terá, pelo menos, mais dois jogos para mostrar se são mesmo capazes de decidir uma partida. Façam suas apostas e se preparem para ver muitos gols.

André Cristino é repórter da Rede Minas

Charge do Duke

www.dukechargista.com.br

13 de abril de 2011

E agora José? (Versão futebolística)

E agora José? (Versão futebolística) E agora, José?
O jogo acabou,
seu time perdeu,
a torcida sumiu,
todo mundo chorou,
e agora, José?
e agora, mané?
você que é sem fé,
rezou, implorou,
não foi atendido,
e agora protesta?
O que é isso, José? O juiz apitou,
está tudo perdido,
não tem outro jogo,
já não pode torcer,
já não pode pular,
sorrir já não pode,
a noite chegou,
a vitória não veio,
a alegria não veio,
a tristeza imperou,
não tem para onde ir,
só resta chorar,
seu sonho ruiu,
a raiva voltou,
e agora, José? E agora, José?
Sua amarga lembrança,
agora é verdade,
xingou o juiz,
a mãe dele também,
xingou jogador,
xingou todo mundo,
pela incompetência,
que ódio – e agora? Com a chave na mão
precisa ir embora,
mas como José?
Roubaram seu carro,
um pivete chegou,
apontou uma arma,
quer levar seu dinheiro.
José, e agora?

Andre Fidusi é convidado do Meio-de-Campo neste blog.
http://andrefidusi.com

11 de abril de 2011

8 de abril de 2011

Meio-de-Campo sorteia camisa do Vivo/Minas

O Meio-de-Campo vai sortear neste domingo uma camisa da equipe de vôlei do Vivo/Minas. Para participar é preciso ser seguidor do @meiodecampo no Twitter e retwittar a frase completa, tal como está abaixo, sem qualquer alteração:

Sigo o @meiodecampo da @redeminas e quero ganhar a camisa do Vivo/Minas http://kingo.to/y2M.

O sorteio será realizado ao final do programa que traz os detalhes da décima rodada do campeonato mineiro. Destaque para o jogo Caldense e Atlético e uma entrevista especial com o técnico Cuca, do Cruzeiro. Confira o regulamento para participar.


Regulamento

1 – Essa promoção tem caráter exclusivamente recreativo e cultural e não tem qualquer custo para os participantes.

2 – Período de participação: até o dia 10/04/2011, no final do programa Meio-de-Campo.

3 – O sorteio será feito utilizando a ferramenta sorteie.me e o perfil do ganhador será divulgado no Twitter do @meiodecampo e no programa, ao vivo, que vai ao ar às 21h do dia 10/04/2011.

4 – Para participar é necessário seguir o perfil @meiodecampo em http://twitter.com/meiodecampo, e retwittar a frase: Sigo o @meiodecampo da @redeminas e quero ganhar a camisa do Vivo/Minas http://kingo.to/y2M. Somente será aceito o ganhador cujo perfil no twitter seja ativo e válido.

5 – Retuites que não contenham o link completo ao final da frase não participarão do sorteio.

6 – Quem postar mais de uma mensagem só concorre uma vez.

7 – O prêmio consiste em uma camisa da equipe de vôlei do Vivo/Minas e o ganhador deverá retirar a camisa na portaria da Rede Minas (Av. Nossa Senhora do Carmo, 931. B. Sion Belo Horizonte/MG). Será informada uma senha diretamente ao vencedor do prêmio para a sua retirada.

8 – O ganhador deve retirar o prêmio até o dia 18/04/11.

9 – Tentativas de burlar a promoção criando perfis falsos ou outras formas implicarão na desclassificação do participante.